Atividade humana é responsável por poluir os oceanos

Assunto foi abordado na palestra do biólogo Alexander Turra durante o 3º Congresso Brasileiro do Plástico. Evento ocorreu nesta terça-feira, 16 de outubro, em Porto Alegre.

 

O medo de ver os oceanos tomados por resíduos descartáveis é enorme. A sociedade precisa assumir a responsabilidade pela contaminação dos mares devido ao destino inadequado dos resíduos plásticos, segundo o biólogo Alexander Turra. Os descartes não são produzidos pelos mares e só estão lá por falta de consciência e atitude sustentável. Quem polui é o ser humano. O assunto foi tema de uma das principais palestras do 3° Congresso Brasileiro do Plástico (3CBP), que ocorre em Porto Alegre nesta terça-feira, 16 de outubro.

O lixo plástico não é produzido pelo mar e estima-se que 80% dos resíduos nos oceanos sejam oriundos de atividades realizadas em terra, como agricultura, turismo e até ocupações ilegais de moradia. Os outros 20% dos resíduos são gerados no mar em atividades realizadas lá, como pesca, turismo e até atividades náuticas”, afirma o biólogo, ressaltando que são as atividades humanas que levam os resíduos para o meio ambiente através do descarte irregular, causando impactos na natureza.

A solução é debatida há muitos anos e provoca manchetes irresponsáveis e pirotécnicas, segundo Turra. “Na década de 1960 já começaram a falar sobre resíduos sólidos e qual seria o impacto destes resíduos descartados de forma equivocada na sociedade. Hoje, precisamos de ações de conscientização sobre como educar a sociedade para os resíduos que produz diariamente”, alerta. Sobre o banimento de canudos de plásticos em algumas cidades, o biólogo lembrou que o tema, apesar de polêmico, não ajuda a resolver a questão. “As cidades votam pelo banimento de canudos plásticos achando que está resolvendo o problema. Porém, este é um movimento que evidencia natural o descarte inadequado. O banimento não é educativo e não pressupõe que as pessoas estão aprendendo a usar de forma consciente. O caminho é conscientização e educação, não a sua proibição”, finaliza.

O PALESTRANTE

Alexander Turra é professor do Instituto Oceanógrafo na Universidade de São Paulo (IOUSP). Possui graduação em Ciências Biológicas, mestrado e doutorado em Ecologia. Atualmente é professor e atua nos temas de manejo integrado e conservação marinha, Impacto ambiental marinho, mudanças climáticas; lixo nos mares e ecologia de populações e comunidades marinhas. O palestrante é membro do Grupo de Trabalho do Grupo de Peritos sobre Aspectos Científicos da Proteção do Ambiente Marinho (GESAMP) sobre “Fontes, destinos e impactos dos microplásticos no ambiente marinho – uma avaliação global”. Também está à frente da Ação do Plano de Ação Federal da Zona Costeira para o Combate do Lixo no Mar, coordenando o processo de elaboração do Plano Nacional de Combate ao Lixo no Mar em conjunto com o Ministério do Meio Ambiente.

O 3° Congresso Brasileiro do Plástico, que tem como presidente Alfredo Schmitt, é um evento bianual promovido pelo Instituto SustenPlást e pelos três sindicatos gaúchos do setor: Sindicato das Indústrias de Material Plástico no Estado do RS (Sinplast), Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) e Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Vale do Vinhedos (Simplavi).