Terceira edição do Congresso Brasileiro do Plástico abre com palestras que destacam aplicabilidade e inovações na reciclagem do plástico

 

O 3º Congresso Brasileiro do Plástico (3CBP), que ocorre nesta terça-feira, 16 de outubro na PUCRS, em Porto Alegre, apresenta uma série de debates sobre a matéria-prima. Na abertura do evento, o presidente do Simplavi, Ivanio Angelo Arioli, destacou a importância do 3CBP para a discussão sobre os usos dos plásticos no mundo. “Precisamos falar mais sobre o plástico como matéria-prima, pois é usado para praticamente todas as finalidades e pode ser reciclado infinitas vezes, possibilitando soluções para problemas de todos os tamanhos”, pontuou. “Um evento como este reúne especialistas nacionais e internacionais que mostram o quanto a tecnologia é uma aliada da sociedade. O 3CBP nos ajuda a entender o quanto o plástico pode ser versátil e útil para o desenvolvimento da nossa civilização. Aqui, estamos falando sobre tecnologias relacionadas a um dos materiais mais estudados do mundo, pois é um material em constante evolução”, ressaltou.

Na primeira palestra do 3CBP, o presidente do Simplás, Jaime Lorandi, falou sobre o plástico como solução. “A faca, sozinha, não consegue matar. Para isso é necessária ação humana. Assim é a poluição, resultado do destino inadequado dos resíduos. Quem gera poluição é o ser humano”, frisou. Ele citou ainda a ampla aplicabilidade do plástico na vida moderna, desde as embalagens de alimentos – hoje quase 90% dos alimentos são embalados com plástico – até a produção de órgãos humanos, como coração artificial.

Lorandi apresentou como as embalagens plásticas são muito mais leves que outros materiais e, consequentemente, muito mais econômicas. “Se não usássemos os plásticos, o acesso à água potável e aos alimentos seria ainda mais difícil, o que levaria ao aumento de taxas de mortalidade por fome”, pontuou. Ele finalizou sua fala argumentando que a questão não é substituir o plástico, mas desenvolver a cultura da reciclagem nas pessoas, de que é preciso que cada um faça a sua parte na destinação correta dos resíduos, pensando nas gerações futuras.

A segunda palestra do 3CBP foi ministrada por Fabiana Quiroga, diretora da área de reciclagem e plataforma recycle da Braskem. Fabiana abriu sua apresentação “Wecycle: plástico reciclável, ciclo consciente”, com dados atuais referentes ao uso do plástico, que foram discutidos em um evento do setor que ocorreu recentemente na China, país que mais gera lixo no planeta.

A palestrante destacou que a gestão dos resíduos é um assunto que vem chamando cada vez mais a atenção da indústria e que a Braskem tem avançado na redução do uso de recursos naturais, decidindo aumentar o investimento em projetos sociais e de educação ambiental e nas diversas formas de reciclagem. “A Braskem tem como objetivo estratégico ser reconhecida como uma empresa inovadora para o desenvolvimento da cadeia de reciclagem e para o seu portfólio”, afirmou. Ela contou que a empresa lançou neste ano um desafio chamado Innocentive, que tem como objetivo encontrar soluções para a retirada de odor e melhoria de propriedade dos resíduos, por meio de sugestões de empresas e pessoas físicas. “No total recebemos 154 inscrições, sendo que 11 estão em fase de testes. O vencedor ganhará um premio de 30 mil dólares”, explicou.

O 3° Congresso Brasileiro do Plástico, que tem como presidente Alfredo Schmitt, é um evento bianual promovido pelo Instituto SustenPlást e pelos três sindicatos gaúchos do setor: Sinplast – Sindicato das Indústrias de Material Plástico no Estado do RS, Simplás – Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho, e Simplavi – Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Vale do Vinhedos.